sexta-feira, 20 de maio de 2011

Cara de anjo mau

Li-o todo até ao fim. O estômago às cambalhotas e eu aqui sentada muito quietinha a ler. No peito um apertão, um nojo solidário. Logo hoje que está sol e é sexta-feira e o fim-de-semana cheira a festim. Estava tão bem quieta. Sem ler. Sem saber. Porque carga de água fui lê-lo? A identidade de género tem destas coisas. Nunca disse nada a ninguém, mas acho que foi por isso que quis ter uma filha. E tive. Obrigada, Meu Deus. Sempre tive medo do dois contra um. De me sentir sozinha, injustiçada, indefesa, incompreendida. Uma mulher comove-se com a dor de outra mulher. Eu comovo-me.  Se calhar foi por isso que fui ler. Estive quase um século a lê-lo.  Um circo inteiro a actuar dentro da tripa. Trapezistas, palhaços, elefantes, leões. E eu de boca fechada, com medo de jorrar um vómito. A imaginar porque carga de água não te comoveste. A imaginar-te vestida de preto, com a beca coçada, com cara de anjo mau.

PENNE COM BERINGELAS
Tempo de preparação: 20 minutos
Serve: 4 pessoas;

  • 2 beringelas grandes;
  • 400 gr de tomate pelado;
  • 450 gr de pene (ou outra massa curta);
  • 2 dentes de alho;
  • 1 malagueta seca;
  • uma mão cheia de azeitonas pretas;
  • uma mão cheia de salsa fresca;
  • 1 salpico de vinagre balsâmico, se gostar;
  • azeite, sal e pimenta preta moída;


Modo de preparação:
  1. Coza a massa até estar al dente. Escorra e reserve uma chávena de água da cozedura.
  2. Entretanto, corte as beringelas em quadrados de 1 cm. Leve uma panela ao lume com um fio de azeite, coloque os alhos esmagados, a malagueta e as beringelas. Quando as beringelas estiverem com cor, junte o tomate pelado partido em cubos com cerca de 1 cm e deixe apurar. 
  3. Junte as azeitonas. Tempere com sal e pimenta. Junte um pouco de água da cozedura se o molho estiver muito grosso. Salpique com o vinagre e junte o molho à massa cozida. Envolva bem. Polvilhe com salsa picada e queijo parmesão e sirva.

7 comentários:

  1. Ficou fabulosa a tua massa :)
    beijinho

    ResponderEliminar
  2. Pois é, Filipa. Inacreditável. E pensar que estamos em Portugal e é suposto considerar o ano da graça de 2011... Não sei se é uma coisa de género. Muitos homens ficam assim sem perceber igualmente em que idade média ainda se vive e também se revoltam. É antes uma questão de humanidade. Eu por mim não quero viver no mesmo mundo desta gentinha que decide sem uso directo do cérebro.

    Venha de lá esse prato de massa que a energia é precisa.

    Beijo e bom fim de semana*

    ResponderEliminar
  3. Filipa,
    Eu não li, ou li apenas a conclusão e não vou querer ler mais. Também eu tive vontade de vomitar, tambem me senti enojada, revoltada, com um grito preso a garganta. 34 semanas!... Um professor de evolucao disse q a violencia esta escrita nos nossos genes e a unica maneira de evita-la é impondo elevadas sanções sociais. parece-me que, assim sendo, a justiça de hoje vai tornar a sociedade de amanhã muito mais violenta. E isso assusta-me. Enoja-me e revolta-me. Muito. Mas gosto muito da música que escolheste e adorei a receita.

    ResponderEliminar
  4. A imperfeição do ser humano está nos genes, mas há imperfeições que só podem vir das entranhas do Diabo, imperfeição de arguidos e imperfeição de juízes. Todos a apanhar tremoços ou morangos ou tomates em Espanha... isso é que era! Olha, até podiam apanhar beringelas que não lhes fazia mal nenhum e a nós, que merecemos, fazia um bem danado... assim num belo prato de massa :)

    ResponderEliminar
  5. É revoltante, como é possível!! Nem dá para acreditar! Não sei bem como vai ser o mundo de amanhã, e isso assusta-me não por mim, mas pelos meus sobrinhos!!
    Para esquecer toda esta malvadez só mesmo essa massa.

    Bjs

    ResponderEliminar
  6. Uma refeição bem ao meu estilo e com um aspecto delicioso,

    beijinhos!!!

    ResponderEliminar